Para complementar a discussão acerca do livre-arbítrio dos homens

Controle e Destino – um Breve Ensaio (*).

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

(Compelido por Eugênia ao computador, às 15 para as 4 da manhã desta quinta-feira, primeiro de julho, a fim de digitar o que não saberia, despejou-me a sábia mentora espiritual, em fluxo mental que mal podia acompanhar (e tenho antiga e boa prática ao computador), as palavras que se seguem:)

As humanas criaturas padecem de uma curiosa ilusão: supõem-se senhoras absolutas de seus destinos. Não é outro o motivo de seu sofrimento: por esperarem que as coisas aconteçam de seu modo e, é lógico, elas não acontecem, frustram-se – findam-se infelizes. Não pretenda controlar seu destino. Observe como os acontecimentos vêm e vão, flutuando como bolhas de sabão no ar, a espocarem, fugazes. Preste atenção às forças do momento e tente encontrar, nelas, a voz da eternidade. No imo de cada circunstância, perceberá a voz de Deus a lhe segredar verdades fundamentais para você. Atente-se e notará. Pela voz da paz, da bem-aventurança, da plenitude, você facilmente distinguirá a verdade da impostura, a aparência da essência, o sentimento da sensação.
Você é, hoje, instrumento de forças ocultas, que desconhece. As forças do destino, como agentes profundos e complexos de significado e destino, mobilizam eventos, articulam acontecimentos, fazem as coisas surgirem, como que por acaso, das dobras do tempo. Sem notar, você é conduzido e amoldado, por inteligências ocultas, que argamassam seu crescimento, favorecendo seu processo de construção para as alturas.
Eu sei: como ser humano, você duvida de tudo isso – pode duvidar. Pouco importa. A alçada do livre-arbítrio humano é muito maior do que ele gostaria de supor, tanto quanto a extensão de seu poder de influenciar a realidade externa, idem. Mas, se preferir despertar para a verdade, pare de se angustiar tanto pelo dia de amanhã, como disse Jesus, e trate de viver plenamente o agora. Não no sentido de se descuidar de planejamentos e compromissos a longo e médio prazo, mas no sentido de prestar atenção aos fluxos do momento, carregados da Divina Presença que, como reza o paradigma holográfico, o mais avançado modelo de representação da realidade, Deus, como a Grande Totalidade, está em cada parte, assim como asseveravam antigas tradições espirituais humanas, que afirmavam o mesmo, a partir de uma perspectiva meramente mística e filosófica.
Você é conduzido pela Divina Sabedoria, e deveria, assim, tranqÜilizar-se e relaxar completamente. Afinal de contas, além de infinita inteligência, Deus também é infinita bondade. Portanto, por que o motivo da preocupação? Para os aficcionados em controle, a resposta é entregar-se, e confiar… em Deus.
Pare de questionar as sinuosidades do destino. Assim como afirma a teoria do caos, é por meio da desordem aparente que uma ordem mais profunda, em nível mais elevado de complexidade, pode se estabelecer. Somente a confusão amadurece e propele à transcendência. Não seja desordeiro, é óbvio, mas não fuja da desordem inevitável – aquela atrelado ao processo de aprendizado – ou pagará um preço pesadíssimo não só de desordem ainda maior, como, principalmente, de sofrimento e vazio.