Universo

Estamos imersos, pequeninos, na Harmonia Sublime do Universo. Lembrem-se da Terra, movimentando-se ao redor do Sol. Com a translação completa, vai-se mais um ano, silencioso e inexorável no grande Universo. Para nós, pequeninos ali em baixo, muitas experiências, vitórias, derrotas e novas verrugas. Mas nós somos habitantes esdrúxulos, inquilinos quietos e afáveis – poderíamos dizer -desta enorme mansão imperturbável que é o Universo. Estamos tão sós, somos tão pequeninos: ninguém se dá conta de nós! Nossas guerras são estalidos imperceptíveis…

O movimento da Terra ao redor de si mesma constrói as 24 horas do dia, onde amamos, pensamos, trabalhamos e dormimos. A rotação é certa, inflexível, não se dá conta dos problemas e inquietações das formiguinhas humanas. Muitos pragejam contra o dia, condenando a tudo e a todos por ser tão pobre e mendigar nas ruas, outros agradecem ao Sol da manhã para passear pelos bosques, mas a Terra não liga para nenhum de nós: segue, confiante, como deve ser…

O movimento da Lua ao redor da Terra caracteriza as semanas, que passam “voando” para a nossa exígua perspectiva temporal – porque, quando vemos, já é segunda-feira outra vez! – mas para a perspectiva galáctica, nada está mais rápido ou mais lento que o normal.

Tal como uma mãe cuida de seu bebê, o Universo trabalha, incansável, para que possamos deixar de lado toda essa complexa organização- que não conseguiríamos sustentar nem compreender de todo – e dar-nos conta de nossas pequenas preocupações humanas…