Teoria da Felicidade – Sabedoria

Simplicidade é virtude de difícil alcance. Do contrário do que imaginamos, não nos tornamos mais complexos com o tempo; na verdade, tornamo-nos menos complexos. Ser complexo é desconhecer a si próprio. Vamos nos tornando simples a medida em que descobrimos mais sobre nós. O auto-descobrimento é a própria sabedoria. “Conhece-te a ti mesmo”, diria Sócrates, o sábio filósofo grego. O sábio conhece exatamente aquilo que lhe dá alegria e aquilo que lhe entristece. Conhece aquilo que gosta e não gosta. Sabe dizer sim e não sem ofender. É sincero. Não se surpreende consigo, quando reage de forma inesperada. Conhece suas reações, seus sentimentos, de modo tão claro e simples como sabemos que céu é azul e não verde, e o sol é brilhante e não opaco.

Não que seja dotado de completude, não… O sábio simplesmente reconhece sua incompletude. Saiu já dessa ilusão de as pessoas acharem que são auto-suficientes. Mas ao mesmo tempo não se entristece, em se reconhecendo insuficiente. É muito simples e claro, no sentido de entender que, apesar do vazio, alguma coisa ele é, e está feliz com isso. Aí sim, podemos falar numa auto-suficiência, no sentido de amar o que se é. E, ao mesmo tempo, podemos falar numa inquietação, de querer ser algo mais do que se já é.

Competição, só do eu hoje contra o eu ontem. Nunca o eu contra você. O sábio compete contra si, todos os dias. É feliz em ser melhor do que era ontem, não em ser melhor do que outros.

O sábio não liga muito para as opiniões dos outros: são só opiniões. Tem profundo respeito pelo pensamento alheio, mas também possui dentro de si um esquema de idéias – muito simples, claras – que não se derrubam por nada neste mundo, funcionando como uma fonte de energia interna que o alimenta.

Enfim, é o que consigo imaginar, eu, João, que não sou sábio, mas que busco isso de algumas pessoas que sinto possuirem essa sabedoria (algumas, conheço pessoalmente; outras, são os sábios famosos do mundo, que tornaram-se públicos, talvez contra a vontade deles).

Para aqueles que se interessaram no assunto, não deixem de ler este texto http://www.buscadorerrante.com/wp/2009/maslow-e-as-pessoas-auto-realizadoras/ , que conta um pedaço da Teoria das Necessidades de Maslow.

Anúncios

Sobre João

Olá, amigo do outro lado da tela.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s