Contribuição sua

“Que cada cidadão apresente sua contribuição mínima à paz, todos os dias. Que cada mulher, homem e criança ore pela paz do planeta, que procure sanar seus próprios focos de desarmonia em casa, no ambiente de trabalho, nos círculos acadêmicos, na via pública. Que os conflitos sejam dirimidos, por meio da busca da confraternização, da transcendência do confronto de interesses, por um espírito de cooperação mais amplo, que englobe as necessidades de todos. Isso deve se tornar hábito no dia a dia, a fim de que se espraie uma psicosfera de paz, como uma bendita epidemia de otimismo, de amor, de esperança, de felicidade. Pequenos gestos de fraternidade: um olhar afetuoso, um aperto de mão, um minuto de atenção, um abraço, um telefonema amistoso, um e-mail gentil, uma carta terna podem fazer milagres, em efeito dominó, sobretudo quando realizados sistematicamente e a partir da iniciativa de uma massa de pessoas, ao mesmo tempo.

Que o leitor comum que nos lê não menospreze seu poder de ação, por julgar muito diminuta sua possibilidade de contribuição para o problema global. O paradigma holográfico, o novo parâmetro filosófico das ciências, diz que não só a parte está no todo, como o todo está na parte. Gandhi disse certa feita: um único homem que se converta ao verdadeiro amor pode aplacar o ódio de milhões. A transformação genuína e profunda de uma pessoa pode ter efeitos extraordinários, em cadeia, em torno de seus passos, afetando milhares de outros corações. Sem perceber, por vias diretas ou indiretas, cada ser humano tem um poder de influência sobre milhares de almas, encarnadas e desencarnadas, todos os dias. É muito importante que o homem e mulher comuns tenham bastante consciência desse seu poder excepcional, quase sempre ignorado, tanto de fazer o bem, como de promover o mal, até mesmo por sua negligência. Como disse Jesus: o Reino dos Céus está dentro de Vós. Essa passagem dos Evangelhos pode perfeitamente ser aplicada para essa reflexão. O Reino de Deus não se implantará na Terra por meio de decretos ou iniciativas econômico-sociais, mas pela transformação verdadeira dos valores, da forma de interpretar e de sentir o mundo de cada ser humano, o que terá efeitos diretos em sua conduta e em sua interação com outros seres humanos. Nesse busílis é que se dará a verdadeira e definitiva revolução: no coração de cada habitante do planeta.”

Anacleto, do grupo Salto Quântico.

Link: http://www.saltoquantico.com.br/2001/09/15/consulta-a-anacleto-06-tema-a-crise-internacional/

Trecho interessante

“Você não está no patamar de excelência em que gostaria de estar, para cumprimento de suas responsabilidades, mas se lhe falta cultura, inteligência, maturidade ou mesmo virtude para exercer uma função que a Divina Providência lhe confiou, transforme a carência em êmulo constante à labuta de auto-transcendência, certo de que as lacunas da alma pedem preenchimento, mas, acima de tudo, uma busca de auto-superação, em atitude serena, humilde e sincera, para não pretender ser nem parecer melhor que os outros, nem se estressar para se converter no que ainda não é possível para seu atual plano evolutivo.” Gustavo Henrique

http://www.saltoquantico.com.br/2001/01/09/inspiracao-para-a-paz/

Indo contra o fluxo

“A Divina Providência, muitas vezes, dificulta o fluxo de certas ocorrências desejadas por Suas criaturas não porque pretenda bloquear-lhes a felicidade, mas justamente pela inversa razão, já que, com o atraso provocado, permite que a gestação de acontecimentos muito melhores seja levada até o fim, a incubação perfeita de processos que demandam mais tempo, para serem devidamente elaborados.

Portanto, em se sentindo pressionado, numa “encruzilhada” da existência, considere que o Criador pode lhe estar fazendo esperar justamente para galardoá-lo com um acontecimento muito melhor do que aquele que você deseja receber agora, mas que, talvez, ainda que não possa perceber de pronto, não seja mesmo o ideal para sua felicidade.” Eugênia

de http://www.saltoquantico.com.br/2004/12/23/termodinamica-da-vida/

Para complementar a discussão acerca do livre-arbítrio dos homens

Controle e Destino – um Breve Ensaio (*).

Benjamin Teixeira
pelo espírito
Eugênia.

(Compelido por Eugênia ao computador, às 15 para as 4 da manhã desta quinta-feira, primeiro de julho, a fim de digitar o que não saberia, despejou-me a sábia mentora espiritual, em fluxo mental que mal podia acompanhar (e tenho antiga e boa prática ao computador), as palavras que se seguem:)

As humanas criaturas padecem de uma curiosa ilusão: supõem-se senhoras absolutas de seus destinos. Não é outro o motivo de seu sofrimento: por esperarem que as coisas aconteçam de seu modo e, é lógico, elas não acontecem, frustram-se – findam-se infelizes. Não pretenda controlar seu destino. Observe como os acontecimentos vêm e vão, flutuando como bolhas de sabão no ar, a espocarem, fugazes. Preste atenção às forças do momento e tente encontrar, nelas, a voz da eternidade. No imo de cada circunstância, perceberá a voz de Deus a lhe segredar verdades fundamentais para você. Atente-se e notará. Pela voz da paz, da bem-aventurança, da plenitude, você facilmente distinguirá a verdade da impostura, a aparência da essência, o sentimento da sensação.
Você é, hoje, instrumento de forças ocultas, que desconhece. As forças do destino, como agentes profundos e complexos de significado e destino, mobilizam eventos, articulam acontecimentos, fazem as coisas surgirem, como que por acaso, das dobras do tempo. Sem notar, você é conduzido e amoldado, por inteligências ocultas, que argamassam seu crescimento, favorecendo seu processo de construção para as alturas.
Eu sei: como ser humano, você duvida de tudo isso – pode duvidar. Pouco importa. A alçada do livre-arbítrio humano é muito maior do que ele gostaria de supor, tanto quanto a extensão de seu poder de influenciar a realidade externa, idem. Mas, se preferir despertar para a verdade, pare de se angustiar tanto pelo dia de amanhã, como disse Jesus, e trate de viver plenamente o agora. Não no sentido de se descuidar de planejamentos e compromissos a longo e médio prazo, mas no sentido de prestar atenção aos fluxos do momento, carregados da Divina Presença que, como reza o paradigma holográfico, o mais avançado modelo de representação da realidade, Deus, como a Grande Totalidade, está em cada parte, assim como asseveravam antigas tradições espirituais humanas, que afirmavam o mesmo, a partir de uma perspectiva meramente mística e filosófica.
Você é conduzido pela Divina Sabedoria, e deveria, assim, tranqÜilizar-se e relaxar completamente. Afinal de contas, além de infinita inteligência, Deus também é infinita bondade. Portanto, por que o motivo da preocupação? Para os aficcionados em controle, a resposta é entregar-se, e confiar… em Deus.
Pare de questionar as sinuosidades do destino. Assim como afirma a teoria do caos, é por meio da desordem aparente que uma ordem mais profunda, em nível mais elevado de complexidade, pode se estabelecer. Somente a confusão amadurece e propele à transcendência. Não seja desordeiro, é óbvio, mas não fuja da desordem inevitável – aquela atrelado ao processo de aprendizado – ou pagará um preço pesadíssimo não só de desordem ainda maior, como, principalmente, de sofrimento e vazio.